Radar 2615

Divulgação de arte, desde artistas consagrados a emergentes, num espaço virtual, no qual se pretende através de ciclos artísticos expor os seus trabalhos.

ARTISTA

Apresentação
Diogo Duarte, nascido em 1987, é um artista Português residente em Edimburgo, Escócia com um interesse específico em assuntos queer. Com uma experiência variada para além de no mundo artístico, nomeadamente na área da saúde mental e aconselhamento psicológico, o Diogo explora temas de queerness, futuros queer, utopias, intimidade, sexo, identidade e saúde mental na sua prática artística.

Em 2018, o seu projeto ‘Sour-Puss: The Opera’, criado juntamente com a artísta Jessica Mitchell foi nomeado como finalista na bienal de fotografia de Vila Franca de Xira e em 2021 foi editado pela editora de livros de arte Londrina GOST books e lançado na feira PARIS PHOTO.

O seu trabalho ja foi exibido no Reino Unido, Japão, Itália, Estados Unidos, Canada, Russia e Portugal. Já vendeu em leilão na Getty Images Gallery em Londres e na Robert McLaughlin Gallery no Canada para apoiar comunidades a aceder as artes.

As fotografias apresentadas fazem parte de um projeto de autorretrato - Comandos e Julgamentos Inconscientes do nosso Século

Um projeto de autorretrato - Em Comandos e Julgamentos Inconscientes do nosso Século, um projeto de autorretrato, eu 'realizo' diferentes aspetos da minha personalidade na frente da câmera com a intenção de criar um diálogo interior de autoaceitação.

As fotografias encenadas, onde cada personagem desempenha um papel na conversa, são reações quase instintivas a noções que sempre fui conflitante por tal expressão sexual, orientação sexual e identidade de gênero. De imagem em imagem, os personagens conversam entre si em um balanço constante entre liberdade de expressão e repressão.

Aspetos da minha personalidade que antes estavam escondidos, são amplificados e exagerados diante de um pano de fundo surreal para que sua existência não possa mais ser ignorada. Louco - e muitos outros - são dramatizados e imaginados como as crianças fariam ao tentar explicar o que não entendem.